Federação Santa Teresa dos Andes

MOSTEIRO ALGUM É UMA ILHA

O que é uma Federação de Carmelos?

           Parafraseando o título de um livro do famoso monge Thomas Merton – Homem algum é uma ilha – tentarei explicar o que significa uma Federação de mosteiros.

 

        Os mosteiros de monjas contemplativas são, em sua maioria, juridicamente autônomos, ou seja, têm como superiora maior a Priora (Superiora) que governa o mosteiro e estão vinculados à Santa Sé como última instância para resolver suas questões monásticas.

            Mas, por vontade do Papa Pio XII, em 21 de novembro de 1950, foi promulgada uma Constituição Apostólica chamada “Sponsa Christi”, que além de outras questões relacionadas exclusivamente à vida contemplativa, incentivava-se a criação de Federações ou Associações de mosteiros da mesma Ordem Religiosa, para que se ajudassem mutuamente nas necessidades espirituais ou materiais, respeitando a autonomia de cada mosteiro associado.

            A criação de Federações passa pela aprovação da Santa Sé, como também a autorização do ingresso de mosteiros às ditas Federações.

​FeSTA - Um pouco da história:

            Assim sendo, em 19 de setembro de 1994, recebe a aprovação canônica da Santa Sé a Associação Santa Teresa dos Andes. No início, com 6 mosteiros, 5 em terras nordestinas:  Carmelo de Camaragibe (Pernambuco), Carmelo de Fortaleza (Ceará), Carmelo de Salvador (Bahia), Carmelo de Teresina (Piauí), Carmelo de Propriá (Sergipe); e um mosteiro no estado do Espírito Santo (Carmelo de Cariacica). Foi a primeira Associação a ser aprovada no Brasil.

 

            Passados alguns anos, mais 2 mosteiros começaram a fazer parte de nossa Associação: Carmelo de São Luis (Maranhão) e Carmelo de Senhor do Bomfim (Bahia).

​           

            E nossa Federação foi crescendo com a presença de outros Mosteiros: Carmelo do Conde (Paraíba), Carmelo de Cachoeiro de Itapemirim (Espírito Santo), Bananeiras (Paraíba) e Jacarepaguá (Rio de Janeiro), Carmelo de Maceió (Alagoas) e Carmelo de Natal (Rio Grande do Norte).​ Formamos assim uma Federação de 14 Carmelos.

Papel da FeSTA:

​           

            Nossa federação iniciou como Associação Santa Teresa de los Andes e hoje, depois de 25 anos de existência e diante das mudanças que a Igreja nos pede, passamos à Federação.

             Nossa Federação procura acompanhar os mosteiros em suas necessidades, sendo que, desde o princípio, vimos como importante ter um cuidado especial com a formação de seus membros, sejam os que estão iniciando seu processo formativo, sejam aqueles que já saíram do estágio inicial, mas que continuam sua formação permanente.

         Foi escolhida como Padroeira e titular Santa Teresa de los Andes, Santa chilena, a primeira carmelita latino americana canonizada.

​             A Federação consta de uma estrutura de organização que é ordenada pelo Conselho: a coordenadora e mais 4 conselheiras, as quais são responsáveis pelo seu bom funcionamento, para que, assim, cumpra os fins para o qual foi criada. 

            A cada seis anos, em sua Assembleia ordinária eletiva, os mosteiros federados, através de suas representantes, elegem a nova coordenadora e conselheiras, ​além da presença de um assistente religioso, geralmente um Padre da mesma Ordem, que acompanha fraternalmente o caminhar da Federação como representante da Santa Sé.

​        Como disse no início: Mosteiro algum é uma ilha. A Federação é o ponto de união entre os mosteiros, que fraternalmente se ajudam e partilham suas vidas e dons, buscando sempre crescerem na vivência do carisma comum para a edificação do Reino de Deus e da Igreja.

           

            Irmã Danuze de Jesus ocd

           Presidente da Federação Santa Teresa dos Andes

Carmelos FeSTA